O Monitor do Novo Debate Econômico (MNDE) é um agregador  de informações públicas sobre as novas maneiras de pensar a economia expressas no debate econômico da grande imprensa e em outros fóruns da esfera pública.

Institucional

O Monitor do Novo Debate Econômico (MNDE) é um espaço de reflexão e análise das novas maneiras de pensar a economia expressas no debate econômico da grande imprensa e em outros fóruns da esfera pública.

Objetivos

(1) municiar atores da sociedade civil para incidir sobre esse debate;
(2) informar o público em geral acerca do das principais posições nesse debate;
(3) funcionar como uma espécie de ombudsman dos meios de comunicação no que toca o tema.

Contexto

A economia é tema central em todas as democracias contemporâneas e norteia particularmente o debate público sobre política econômica, ou seja, as maneiras como o Estado lida com a economia. Um sinal disso é que o assunto ocupa lugar de destaque nos grandes meios de comunicação, como editoriais, colunas de opinião e reportagens. Muitas publicações têm um caderno ou uma seção inteiramente focada no tema. Ademais, temos revistas e jornais dedicados exclusivamente a assuntos econômicos. 

Historicamente, duas posições sobre economia e política econômica estatal predominaram no debate público brasileiro. Temos a conhecida como ortodoxa, muitas vezes chamada um tanto pejorativamente de monetarista, fiscalista ou neoliberal. A vertente ortodoxa defende a diminuição da intervenção do Estado na economia e o enxugamento da máquina pública e  tem sido a posição dominante dos grandes meios de comunicação, dos partidos de centro-direita e de direita, e dos setores econômicos ligados à finança e aos negócios, no Brasil e no mundo. 

Do outro lado, temos o que se pode chamar de desenvolvimentismo. Nessa concepção, o Estado é compreendido como ferramenta fundamental na indução do crescimento econômico e do bem-estar da população, operando por meio de políticas anticíclicas (criadoras de demanda), políticas sociais e do planejamento setorial. Tal concepção é minoritária nos meios de comunicação, mas forte nos partidos e governos de esquerda e de centro-esquerda. 

A pandemia da Covid-19 atingiu em cheio a atividade econômica, o convívio social e a capacidade estatal. Ao fazer isso, a defesa de políticas econômicas ortodoxas ficou em xeque: como defender a diminuição do Estado em momento em que a sociedade e a atividade econômica dependem tanto de seu amparo? 

Ao mesmo tempo, as várias crises geradas pela pandemia expuseram problemas estruturais da sociedade brasileira, como a extrema desigualdade de raça, de gênero, de acesso a bens e serviços de qualidade, de exposição a risco ambiental, etc. Esse desenvolvimento também coloca pressão sobre o discurso econômico heterodoxo para que ele se abra às pautas de inclusão, como reconhecimento racial e de gênero e justiça ambiental. 

Já há sinais, mesmo antes da pandemia, de entrada de pautas como a igualdade de raça e gênero e a questão ambiental nos discursos públicos sobre economia tanto no campo heterodoxo quanto no ortodoxo. A pandemia de Covid-19 parece estar acelerando esse processo.

Metodologia

Análise diária da cobertura jornalística da economia em grandes meios de comunicação. Por meio de ferramentas de raspagem de sites de internet (web scraping), montamos em um site de trabalho (back end) uma base de textos digitais que são diariamente codificados por pesquisadores do MNDE quanto a questões que concernem o debate econômico, a partir de um questionário padronizado. Nossas perguntas discutem tanto a posição econômica defendida nos textos quanto a presença ou não de debates sobre igualdade de gênero e raça e também sobre a questão ambiental. Utilizamos para fins metodológicos as análises de valência para avaliar qualitativamente como os diversos temas são discutidos nos textos jornalísticos.Os dados resultantes da codificação alimentam o website do MNDE, por meio do qual os usuários terão acesso ao perfil da cobertura, seus principais tópicos ao longo do tempo, perfil de cada meio, etc. 

As fontes selecionadas para análise são: 

Folha de S. Paulo, Estado de S.Paulo, O Globo – editoriais, colunas de opinião que tratam da questão econômica e colunistas de opinião do caderno de economia.

Valor Econômico – editorial, colunas da seção “Política”, textos da seção “Opinião”. Esses “quality papers” são ainda muito importantes na circulação de informação e opiniões sobre economia entre elites e formadores de opinião. Ademais, eles concentram a maior parte da produção de notícias e opiniões sobre economia que chegam ao público brasileiro em geral.

Comunicação

A fim de servir de fonte de referência para pessoas interessadas nos temas suscitados pelo novo debate econômico, o site do MNDE conta com: 

  • Blog de artigos de autorias de especialistas convidados para tratar de temas candentes do Novo Debate Econômico – periodicidade mensal. 
  • Podcasts com convidados para discutir temas candentes no Novo Debate Econômico – periodicidade mensal. 
  • Textos produzidos a partir dos dados da pesquisa – periodicidade variável. 
  • Glossário explicando em linguagem simples e direta os principais conceitos envolvidos no Novo Debate Econômico, como aqueles relativos aos temas do meio ambiente, igualdade de gênero e inclusão racial e economia.  
  • Wikipage com os principais posicionamentos nas questões em torno do Novo Debate Econômico, aberta à colaboração de usuários, sob a curadoria do MNDE. 

Parcerias

Contato

mnde@iesp.uerj.br 

João Feres Júnior

Coordenador

Graduado em Ciências Sociais e mestre em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas, mestre e doutor em Ciência Política pela City University of New York, Graduate Center. Professor do IESP-UERJ e coordenador do LEMEP e do Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa (GEMAA).

http://lattes.cnpq.br/4890516395721831

Marianna Albuquerque

Pesquisadora

Doutora em Ciência Política pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos (Iesp -Uerj). Mestre em Ciência Política pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos (Iesp-Uerj). Possui graduação em Ciência Política pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2013) e graduação em Relações Internacionais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013). Trabalha com coordenação e gestão de projetos no Centro Brasil no Clima (CBC) e no Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI). É pesquisadora e coordenadora do Observatório Político Sul-Americano (OPSA) desde 2014. Foi professora substituta do Instituto de Estudos Estratégicos (INEST-UFF) entre 2017 e 2019. Tem experiência…

http://lattes.cnpq.br/5585992473046764

Luciano Alencar Barros

Pesquisador

Mestre em economia pelo Programa de Pós-graduação em Economia do Instituto de Economia da UFRJ, onde atualmente cursa o doutorado. É colunista da Rede MMT Brasil e desenvolve pesquisa nas áreas de Macroeconomia, Economia Política, Economia Brasileira e História Econômica.

http://lattes.cnpq.br/9882653751224691

Fernanda Cavassana

Pesquisadora

Graduada em Comunicação Social pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Mestre em Comunicação e Doutora em Ciência Política pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Pós-Doutoranda do IESP-UERJ. Pesquisadora do LEMEP.

Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3407738332416687

Eduardo Barbabela

Pesquisador

Graduado em Ciência Política pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, mestre e doutorando em Ciência Política pelo IESP-UERJ. Pesquisador do LEMEP.

http://lattes.cnpq.br/4396035484541642

Lidiane Rezende Vieira

Pesquisadora

Graduada em Ciência Política pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, mestre e doutoranda em Ciência Política pelo IESP-UERJ. Pesquisadora do LEMEP e do grupo de Pensamento Político Brasileiro e Teoria Política, Beemote, ambos sediados no IESP.

http://lattes.cnpq.br/7358862050255037

André Madruga

Coordenador de Marketing, Comunicação digital e Mídias Sociais

Graduado em Comunicação Social (com habilitação em Jornalismo) pela Facha e analista de mídias sociais (Igec/Facha). Tem experiência em cobertura política, marketing digital e produção de conteúdo para sites, blogs e redes sociais. É também colaborador do Observatório do Legislativo Brasileiro (OLB) e do GEMAA, ambos produzidos pelo IESP-UERJ.

André Felix

Pesquisador Computacional

Graduado em Ciências Contábeis pela Faculdade Presbiteriana Mackenzie Rio. Mestrando em Ciência Política pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP-UERJ). Pesquisador nos grupos de pesquisa Grupo de Estudos Multidisciplinar da Ação Afirmativa (GEMAA) e LEMEP.

http://lattes.cnpq.br/5962042478046087